plutella xylostella
traça das crucíferas / Plutella xylostella

Ovo: A fêmea deposita os ovos na página inferior das folhas, isolados ou em grupos de 2 ou 3. Esses ovos são muito pequenos de coloração esverdeada e arredondados.

Lagarta: Após 3 ou 4 dias nascem as lagartas, que penetram no interior da folha passando a alimentar-se do parênquima, durante 2 ou 3 dias. Em seguida abandonam a galeria e passam a alimentar-se da epiderme da página inferior da folha. As lagartas atingem o máximo desenvolvimento com 8 a 10 mm de comprimento, após 9 ou 10 dias da eclosão.

Pupa: Para transformarem-se em pupas, tecem um pequeno casulo, facilmente reconhecido por ser constituído de pequenas malhas, na face inferior das folhas.

Adulto: Após cerca de 4 dias de pupa o adulto emerge, um microlepidóptero. Nos machos a margem posterior das asas anteriores é branca e na posição de repouso forma uma mancha alongada característica sobre a face dorsal.

Danos e Prejuízos

Plutella xylostella é freqüentemente encontrada em cultivos de crucíferas. Alimenta-se da parte externa ou interna das folhas, inutilizando-as para o consumo. É considerada uma praga cosmopolita ocorrendo nas mais diversas regiões do globo, independente das condições climáticas. Sua importância econômica nas diferentes regiões do estado de São Paulo varia consideravelmente, podendo ocasionar reduções de até 60% na produção de repolho.

Algumas das dificuldades observadas no controle desta praga se devem ao fato das áreas de cultivo coexistirem durante o ano todo, com plantas de diferentes idades, proporcionando à praga quantidade abundante e contínua de alimento; além disso, devido ao seu hábito alimentar, a fase larval encontra-se protegida no interior da folha.