Feromônios são semioquímicos (sinalizadores químicos) de atuação entre indivíduos da mesma espécie. Na agricultura emprega-se os feromônios para o manejo de insetos-pragas, no monitoramento com armadilhas ou no controle, através das técnicas de coleta massal, atrai-e-mata ou confusão sexual.

Monitoramento: através da captura de insetos nas armadilhas com feromônios é possível determinar ausência, presença ou flutuação populacional de determinada espécie de praga na área monitorada, o que auxilia o produtor na tomada de decisão sobre o manejo adequado da praga.

Também utilizado em programas de monitoramento de pragas quarentenárias, permite que se identifique a ocorrência de um determinado inseto em áreas livres do mesmo, o que contribui com o controle de entrada de insetos em uma região.

No Manejo Integrado ou Produção Integrada, o monitoramento permite o manejo adequado da praga, já citado, ou o atestado de área livre de uma espécie de praga, facilitando principalmente a exportação de produtos, como frutas por exemplo.

Coleta Massal: técnica de controle de pragas através da captura de grande quantidade de insetos e conseqüente redução populacional. Os feromônios aplicados são os de agregação, que atrai tanto fêmeas quanto machos. Método bastante utilizado principalmente para coleópteros, dispensa o uso de inseticidas.

Atrai-e-mata: quando utilizado juntamente a um inseticida o feromônio promove uma potente atração de uma praga específica, aumentando a chance de contato do inseto ao inseticida, o que aumenta seu potencial de controle. Além de que a aplicação localizada impede que o inseticida químico atinja o ambiente e o produto a ser colhido.

Confusão sexual: Os insetos machos, para localizarem as fêmeas, seguem o rastro de feromônio liberado por elas, encontrando-as finalmente para o acasalamento. A distribuição de vários pontos de liberação de feromônio em uma área satura o ambiente daquele feromônio e impede que o macho encontre a fêmea. Sem se acasalarem, a população do inseto decresce, sendo assim a população controlada. A técnica emprega feromônios sexuais e é aplicada no mundo todo, principalmente no controle de lepidópteros.

Os feromônios são ferramentas seguras de manejo de pragas, não atingem o ambiente, não afetam outros organismos que não sejam o alvo do feromônio, não são tóxicos e são geralmente dispostos em liberadores seguros, sendo assim pouquíssimo manipulado pelo trabalhador do campo e não entra em contato direto com a cultura.